Home Busca

  Pesquisar na web
  Pesquisar no site

[ Projetos Desenvolvidos ]

  KMAI - Gestão do Conhecimento com Inteligência Artificial
  SC-INFO - Sistema de Coleta de Informações com Inteligência Artificial
  NECATI - Núcleo Catarinense de Tecnologia da Informação
  Consumidor.SC - Portal Do Consumidor Catarinense
  e-FORUM - Fórum Eletrônico - Inovação Tecnológica para o Poder Judiciário
  SG HIDRO - Sistema de Gerenciamento de Recursos Hídricos com Inteligência Artificial
  CLAGERH - Central de Legislação Ambiental para Gerenciamento de Recursos Hídricos
  CIPPLA - Sistema Inteligente para Padronização de Processos de Licenciamento Ambiental
  ELETROSOFT
  CENAJUD - Central Nacional de Decisões Judiciais sobre Drogas

KMAI - Gestão do Conhecimento com Inteligência Artificial

Este projeto conta com o apoio financeiro da FINEP - Financiadora de Estudos e Projetos - e tem como objetivo o desenvolvimento e implantação de um sistema que visa a coleta e tratamento de informações relevantes ao processo de tomada de decisão em organizações, contribuindo para o aumento da competitividade de empresas e orgãos públicos e privados. O sistema de Gestão do Conhecimento com Inteligência Artificial (KMAI) descreve um processo digital completo de coleta, armazenamento e processamento de informações. Possibilitando a disponibilização destas em uma interface que responde perguntas abertas e complexas, baseadas em conceitos e contextos, sobre o conhecimento armazenado.

Tecnologias conhecidas, como o Data Warehouse, Data Mining e o Text Mining estarão agrupadas com novas soluções em máquinas de busca e extração de informações gerando um caminho de agregação de valor às informações dispersas e sem sentido. Com esses dados organizados será possível obter uma análise do que for mais relevante ao processo de gestão do conhecimento, e identificar potenciais ameças e oportunidades, tudo numa interface amigável, que além de praticidade terá o opcional de funcionar através de um módulo de segurança, dando ao administrador total controle de acesso à base de informações. Junto com o sistema será desenvolvida uma metodologia para treinamento e capacitação de multiplicadores para que possam obter o máximo de desempenho do software.

A Embratur e o Ministério da Previdência e Assistência Social já demonstraram interesse pelo KMAI, e serão os primeiros a utilizar o software, juntamente com a WBSA, empresa desenvolvedora de sistemas baseados em inteligência artificial que possui convênio com o IJURIS, o qual coordenará a execução do projeto.

Essa tecnologia pode ser aplicada e quaisquer áreas do conhecimento, como, por exemplo, ao mercado de investimentos, que tem uma séria carência de recursos tecnológicos adequados à agilidade e à precisão das informações de que necessita, já que os atuais sistemas não permitem a produção de relatórios com base em documentos textuais, nem a busca em linguagem natural.

Os investimentos em TI voltados para o setor estão em franca expansão, à procura de diferenciais tecnológicos que impulsionem respostas rápidas como apoio à tomada de decisão. Não se tem notícia de organizações produtivas que desenvolvam tecnologias semelhantes, evidenciando-se o diferencial do sistema e a oportunidade de investimento nacional de retorno assegurado.


SC-INFO - Sistema de Coleta de Informações com Inteligência Artificial

Durante o ano de 2003, o IJURIS, numa parceria com a Acate (Associação Catarinense de Empresas de Tecnologia) e com o apoio financeiro da FINEP, coordenará o desenvolvimento do projeto SC-INFO, um sistema para a coleta de informações, baseando-se em parâmetros previamente fornecidos pelo usuário. O sistema realizará a busca em sites e outras bases de acordo com um conjunto de critérios, armazenando os documentos obtidos de forma organizada, facilitando o processo de análise.

O sistema será disponibilizado em forma de um software para pesquisas na internet ou intranet, trabalhando com um módulo de multibusca, que permitirá ao usuário pesquisar informações em vários domínios simultaneamente. No projeto está programado o desenvolvimento de um módulo destinado à analise do usuário a partir de uma interface gráfica.


NECATI - Núcleo Catarinense de Tecnologia da Informação

O Instituto de Governo Eletrônico, Inteligência Jurídica e Sistemas (IJURIS), em convênio com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e com o apoio da Associação Catarinense de Fundações Educacionais (ACAFE), Complexo de Ensino Superior de Santa Catarina (CESUSC), Fundação de Estudos Superiores de Administração e Gerência (FESAG), Instituto Euvaldo Lodi (IEL/SC), Fundação CERTI, Universidade do Sul de Santa Catarina (UNISUL) e Delegacia do INPI de Santa Catarina, cria o Núcleo Catarinense de Tecnologia da Informação (NECATI).

O novo Núcleo propõe uma política de aproximação entre o meio acadêmico e o mercado; entre estes e o Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI); e, de forma mais abrangente, com a própria Organização Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI), entidade que fomenta projetos de ampliação do espectro e da acessibilidade à Propriedade Intelectual.

SUB-NÚCLEOS

O NECATI se organiza em dois sub-núcleos. O primeiro, Núcleo de Apoio em Propriedade Intelectual (NAPI), tem como meta prestar, às entidades geradoras de tecnologia, assistência técnica em questões relativas à propriedade intelectual, fazendo o acompanhamento jurídico preliminar aos negócios, encaminhando pedidos de patente, registro de softwares, marcas, contratos de transferência de tecnologia, entre outros.

O NAPI também encaminha as tecnologias de Gestão do Conhecimento e de Tecnologia da Informação ao Núcleo de Gestão do Conhecimento (NUGESCO). Este segundo núcleo tem o intuito de fomentar negócios relativos à Gestão do Conhecimento, com foco em Tecnologias da Informação. Suas atividades compreendem, inicialmente, uma análise prévia da viabilidade econômica e da maturidade da pesquisa científica, através da identificação das tecnologias inovadoras com projeção econômica.

Determinada a possibilidade de transformar a pesquisa em negócios, o NUGESCO prestará assessoria continuada de apoio gerencial e técnico na gestão da Tecnologia da Informação, a fim de ampliar a capacidade de adicionar valor ao negócio. O Núcleo desenvolve planejamento estratégico, analisando os negócios sob os enfoques comercial, econômico-financeiro, de recursos humanos e de marketing. Com isso, introduz um novo modelo de gestão que - através da assistência comercial e jurídica necessárias - privilegia a P&D em Tecnologia da Informação e Gestão do Conhecimento.

PORTAL DE INFORMAÇÕES

Para a reunião das informações referentes à Propriedade Intelectual, o NECATI prevê a criação de um Portal. Ele servirá de apoio a consultas e tomada de decisões no que se refere ao NAPI, além de permitir às comunidades científica, industrial, comercial e tecnológica, uma visão unificada das informações, aplicações e serviços. O Portal também auxiliará o NUGESCO a desenvolver uma eficiente política de e-commerce em relação às novas tecnologias desenvolvidas na área de gestão do conhecimento.

Através de uma base de dados organizada sob a forma de um software, divulgar-se-ão informações relevantes sobre as tecnologias e Propriedade Intelectual, o que oportunizará a identificação de nichos de mercado para a inserção de tecnologias inovadoras. Esta base de dados permitirá igualmente a obtenção de um levantamento estatístico sobre a P&D em Tecnologia da Informação e Gestão do Conhecimento em Santa Catarina.

ALCANCE MUNDIAL

Em cooperação com os maiores centros geradores de tecnologias inovadoras de Santa Catarina, o NECATI se tornará uma instituição de referência em fomento de negócios no âmbito da Gestão do Conhecimento e da Tecnologia da Informação, com capacidade para atender toda a demanda regional de inovações tecnológicas. O gerenciamento de Tecnologias da Informação e de Gestão do Conhecimento é uma estratégia competitiva para agregar valor ao negócio e permitir que a empresa e o pesquisador se destaquem no mercado.

Nestes termos, a integração com os centros geradores de conhecimento no Estado de Santa Catarina é fundamental para a consecução eficaz e oportuna do projeto. Sem dúvida, esta responsabilidade compartilhada reside em uma maior unidade de propósitos e uma convergência de esforços, o que repercutirá positivamente na quantidade e qualidade de recursos disponíveis. Eles são essenciais para apoio no primeiro ano de execução do projeto. Uma vez implementado, o Núcleo Catarinense de Tecnologia da Informação deverá ser autosustentável, o que garantirá um mecanismo de gestão multi-institucional oportunizado pela interação entre as diferentes esferas na efetivação de um projeto de alcance mundial.


Consumidor.SC - Portal Do Consumidor Catarinense

O Portal do Consumidor Catarinense, lançado oficialmente no dia 25 de março deste ano, numa parceria com a Câmara de Vereadores, serve de suporte aos consumidores de Florianópolis que desejam ter acesso mais facilmente a informações relativas ao Código de Defesa do Consumidor (CDC).

Nele, o usuário encontra um sistema multibusca, semelhante aos tradicionais, que acessa seis diferentes sites de todo o país para obtenção de resposta. Se preferir, ele pode acessar 250 perguntas já respondidas e separadas em categorias e, através de um canal de acesso direto aos alunos de Direito da UFSC, orientados por professores, ele poderá ter suas dúvidas esclarecidas num prazo máximo de 72 horas.

Dentro do Consumidor.SC - nome pelo qual o portal é conhecido - encontra-se em disposição para download o programa de busca Aletheia, que incorpora Inteligência Artificial aos seus recursos, possibilitando que o usuário digite sua dúvida e através dele obtenha o enquadramento legal da situação, recebendo como resposta o trecho correspondente do CDC. No programa pode-se, também, selecionar a forma que se deseja realizar a procura, direta, padrão ou especializada. Em todas as três pode-se definir qual a porcentagem de relação com as respectivas dúvidas que se deseja obter.

O realização do Portal foi resultado de uma parceria entre a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC); a empresa de desenvolvimento de tecnologia e sistemas WBSA, que cedeu a tecnologia para o Aletheia; Procon; Linjur e Nedcon.

O Consumidor.SC é destinado a leigos, acadêmicos, ou profissionais da área jurídica.


e-FORUM - Fórum Eletrônico - Inovação Tecnológica para o Poder Judiciário

O Projeto Fórum Eletrônico é uma iniciativa imbuída de transformações na esfera social, administrativa, tecnológica e também institucional, motivadas principalmente pelo momento histórico de intensas transformações tecnológicas. É uma estrutura computacional na web que, utilizando as mais avançadas tecnologias e ferramentas, permite o acesso às informações 24 horas por dia, 7 dias por semana, independente de fins de semana ou feriados. Comunicação sem fio, videoconferência, ferramentas de trabalho em grupo, portais corporativos, gerenciamento eletrônico de documentos, central de relacionamento, assinatura eletrônica e autenticação, sistema de pagamento bancário eletrônico, leilão eletrônico, e-post (correio eletrônico universal e permanente) e Inteligência Artificial são exemplos das inovações disponíveis no Fórum Eletrônico.

O objetivo principal do Fórum Eletrônico é resgatar da cidadania das admininstrados, melhorando a Produtividade do Processo Jurisdicional e conseqüentemente melhorando a imagem do Poder Judiciário junto à opinião pública nacional e internacional.

É uma nova forma de gerenciar o conhecimento jurídico, com integridade, qualidade e disponibilidade da informação. Assim, será possível uma estruturação de serviços e uma maior transparência nas atividades exercidas dentro de um processo judicial, desde a petição inicial até a sentença final, passando pelas provas e procedimentos. Além disso, essa forma de organização do conhecimento permitirá que muitos atos e estruturas meramente burocráticas simplesmente desapareçam em prol da celeridade e qualidade da prestação jurisdicional.

Serão viabilizadas consideráveis mudanças nos Fóruns e Tribunais de todo o país, reduzindo os procedimentos meramente burocráticos, facilitando a execução de tarefas que exijam uma atividade humana mais complexa e eliminando espaços de tempo que impactam a máquina judiciária. Também os ambientes de trabalho se tornam mais agradáveis, com a existência apenas de autos virtuais. Os autos físicos deixam de existir, o que se torna um grande benefício, uma vez que perecem facilmente com o passar do tempo e demandam um espaço amplo para o seu armazenamento.

No Módulo de Distribuição Eletrônica do Projeto Fórum Eletrônico qualquer operador do direito a partir de um microcomputador conectado à Internet, a qualquer hora do dia, em qualquer dia da semana, acessa um ambiente virtual onde envia seu documento inicial para dar entrada ao processo. Será, então, feita a validação do documento de forma automática. A seguir, ele recebe um documento autenticado eletronicamente (protocolo), informando o valor das custas iniciais, a Vara, bem como o tipo de ação e a sua classificação para eventuais correções.

No caso de existirem provas físicas, não digitalizáveis, o advogado comprometer-se-á a apresentá-las no prazo de 10 dias, após descrevê-las minuciosamente. A seguir, no próprio ambiente virtual ele efetua o pagamento das custas. A partir daí, o advogado passa a acompanhar todos os trâmites processuais, utilizando-se dos recursos tecnológicos disponibilizados, assunto que será abordado em tópico próprio.

O grande diferencial deste projeto é a utilização de recursos tecnológicos inteligentes para a classificação e distribuição randômica destes documentos iniciais. Isso significa que o software será capaz de identificar a matéria, as partes, o juízo competente, o valor da causa e todos os outros atributos importantes de uma peça processual, distribuindo-o de forma inteligente, eficiente e segura. Este procedimento ainda considera um limite entre a Vara com mais feitos e a Vara com menos feitos daquela classificação legal. O acesso do Advogado à Internet poderá ocorrer de seu próprio escritório, de qualquer outro ponto que possua microcomputador conectado à Internet, ou através dos Fóruns, onde nos balcões de protocolo, em local de fácil acesso, deverão estar disponibilizados microcomputadores em número adequado para cada Fórum, devidamente capacitados para fornecerem os mesmos serviços. Também poderão realizar o mesmo procedimento os órgãos públicos que possuam advogados de carreira, o Ministério Público, municipal, estadual e federal, assim como os cidadãos em caso de juizado de pequenas causas.

No Módulo do Gabinete do Juiz, o Magistrado terá ao seu alcance mecanismos que potencializam sua eficiência no trabalho. Uma ferramenta de Gerenciamento de Processos, onde ele acompanha o andamento de todos as causas de seu gabinete e exara seus despachos com o auxílio de um banco de sentença. Também terá a seu alcance um mecanismo de videoconferência, possibilitando a realização de audiências sem a presença física das partes. Será possível manter um contato constante com outros magistrados, através de um rede de comunicação interna. Ainda estarão disponíveis uma agenda eletrônica para a marcação de audiência e outros compromissos e sistemas inteligentes de busca de súmulas e jurisprudências.

Os benefícios da implantação do Fórum Eletrônico são incalculáveis. Isso porque a sua proposta é deburocratizar o processo, de forma que ele se torne tão enxuto e claro que possibilite ao cidadão acesso às informação sem a necessidade de ativar toda a máquina judiciária. Além disso, com a padronização dos documentos exarados pelo Poder Judiciário, inclusive no que diz respeito às classificações processuais, se torna possível a adoção de um rito único, em todo o território nacional, propiciando um serviço igualitário e de maior qualidade. O tempo de um processo é reduzido consideravelmente se for levada em conta a economia de meses despendidos para a realização de citações e intimações, viáveis de se realizar por via eletrônica. E para o acompanhamento contíguo da estrutura judiciária, não só pelos órgãos fiscalizadores, mas por toda a população, serão disponibilizadas análises estatísticas das Atividades Judicante e Cartorária.

O Projeto de Modernização do Judiciário abrange questões que estão além de uma pura instrumentalização tecnólogica. A organização do conhecimento e a sua disponibilização com qualidade sustentam essa evolução, gerando soluções com praticidade tecnológica e abrangência social. O desenvolvimento deste projeto tem apoio na forte qualificação da sua equipe e na pesquisa e uso constante de tecnologias de ponta. Por estas razões é possível visualizar a aplicação futura deste projeto em sua totalidade, integrando com sincronicidade os poderes da união com um único objetivo: o bem comum.


SG HIDRO - Sistema de Gerenciamento de Recursos Hídricos com Inteligência Artificial

Esse projeto prevê o desenvolvimento e implantação de um sistema inteligente para o gerenciamento e a integração de informações textuais, cartográficas e geográficas sobre a bacia hidrográfica urbana piloto em Florianópolis-SC para ser utilizado pela Secretaria de Estado e Desenvolvimento Urbano e Municipal e pela Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan). O software estará disponível em um portal que conterá um sistema de multibusca, e servirá para disseminação de informações relevantes sobre recursos hídricos.

Com essas características, o portal poderá ser usado para identificação de uso adequado ou não de recursos hídricos, de demandas hídricas e como auxílio no planejamento de políticas de recuperação ambiental. Processos de licenciamento ambiental e outorga de direitos de uso de recursos hídricos se tornarão mais ágeis e o diagnóstico de potencialidade econômicas associadas a esses recursos será mais preciso. Ainda abordando as possibilidades do serviço proposto pelo projeto, realizado em parceria como Comitê de Gerenciamento da Lagoa da Conceição (CGEL), será possível otimizar os investimentos em pesquisas destinadas à utilização e manutenção dos recursos hídricos, e o portal poderá servir de suporte para auxiliar numa definição dos valores de cobrança pelo uso da água.


CLAGERH - Central de Legislação Ambiental para Gerenciamento de Recursos Hídricos

A criação da Central de Legislação Ambiental para Gerenciamento de Recursos Hídricos visa centralizar a legislação nacional relativa ao assunto, permitindo a comitês de bacias, agências de águas e outros órgãos integrantes do Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos obter a legislação aplicável ao caso concreto, formulando uma pesquisa em linguagem natural.

Agilidade, transparência e eficiência são metas possiveis com a implantação de um sistema gestão, planejamento, tomada de decisão e transparência na área de recursos hídricos.

O sistema permite realizar consultas, cruzando todas as informações, como por exemplo: o usuário poderá selecionar um curso d'água e determinar uma consulta sobre quais e quantas são as estações localizadas neste curso d´água, quais analisam parâmetros de qualidade, assim como consultar a freqüência em que são realizadas as coletas etc. De um modo geral o usuário poderá fazer consultas diversas, em relação a todas as informações contidas no cadastro, de acordo com a necessidade de informação que pretende obter.

O sistema tem como vantagens:
· recuperação de legislação ambiental através de técnicas de Inteligência Artificial;
· permite a consulta em linguagem natural;
· permite o refinamento da pesquisa através de filtros;
· permite a indexação automática de legislação;
· atualização on-line.


CIPPLA - Sistema Inteligente para Padronização de Processos de Licenciamento Ambiental

Tem como objetivo geral agilizar o processo de licenciamento ambiental de empresas hidrelétricas através da construção de Portal com ferramentas de recuperação de informação de alta performance que permitam apoiar a tomada de decisão, seja dos órgãos públicos responsáveis pelo processo, seja dos empreendedores envolvidos. Este sistema disponibilizará informações relevantes das licenças ambientais provenientes dos órgãos públicos e da legislação pertinente ao setor energético em nível estadual e federal, bem como permitirá a interligação de informação entre estes órgãos, melhorando a confiabilidade das decisões de outorga de licença ambiental.


ELETROSOFT

Tem como escopo a criação de uma empresa responsável pelo desenvolvimento e implantação de sistemas baseados em Inteligência Artificial e Gestão do Conhecimento para o setor elétrico.

A empresa deverá ser implantada com o intuito de possibilitar maior integração entre a sociedade, os empreendedores e os órgãos públicos, visando otimizar processos, aumentar a confiabilidade das tomadas de decisões e identificar oportunidades de negócio no âmbito das organizações do setor energético. Isso será possível com a implantação de ferramentas responsáveis pelo gerenciamento e a recuperação de informações pertinentes ao setor.

Através da Eletrosoft será criado o Portal Energético, um endereço na internet que abrigará informações sobre o setor, assim como dados úteis para o licenciamento ambiental de empreendimentos, tudo reunido em uma grande base de informações dotada de ferramentas de mineração construídas com a mais alta tecnologia em sistemas de informação. Para complementar os serviços do Eletrosoft um sistema inteligente de meta-busca exclusivo permitirá a recuperação de informações através de pesquisa múltipla.

Como resultado da realização do projeto o IJURIS pretende criar um sistema para gestão inteligente da manutenção de unidades geradoras de energia elétrica e desenvolver um sistema para comercialização on-line do produto.


CENAJUD - Central Nacional de Decisões Judiciais sobre Drogas

Atualmente, o público em geral e profissionais (juízes, promotores, advogados, procuradores, agentes públicos, etc.), podem ter acesso a vários bancos de dados legislativo e de jurisprudência, através da Internet ou de sistemas disponíveis no mercado. São mais de 100 Tribunais, gerando mais de 6 milhões de documentos. Entretanto, a recuperação da informação em muitos sistemas ainda requer lógica booleana ou a elaboração de uma sintaxe (questão) para a consulta. Isso dificulta o acesso ao usuário final, pois muitos deles têm uma experiência limitada na formulação de uma questão para realizar uma busca ou refazer esta consulta, depois que não atingiu o resultado esperado.

A maioria das buscas nestas bases de dados é feita pelo usuário final através de profissionais intermediários (e.g., bibliotecários) que conhecem o funcionamento da base de dados, assim como a linguagem controlada e a indexação praticada nele. Para o usuário final, quando a busca é realizada em base de dados textuais, o uso da linguagem natural é inevitável, porque natural para o usuário buscar esta informação de uma forma direta.

Com esta ferramenta, é possível localizar decisões judiciais de maneira rápida e eficiente, tendo sempre à disposição uma base de jurisprudência concisa, leve e atualizada.

O sistema tem como vantagens:
· Recuperação de decisões Judiciais através de técnicas de Inteligência Artificial;
· Permite a consulta em linguagem natural;
· Permite o refinamento da pesquisa através de filtros;
· Permite a indexação automática de novas decisões judiciais;
· Atualização on line.

 


   VOLTAR

 

© 2007-1999 IJURIS - Instituto de Governo Eletrônico, Inteligência Jurídica e Sistemas
http://www.ijuris.org .:. ijuris@ijuris.org

Powered by WBSA - Web Intelligence Systems
"Tecnologia Brasileira a Serviço da Web"

Recomendamos: IE 5.0+ e Res. Monitor Mínima 1024 x 768 pixels